Captura de ecrã 2020-05-14, às 12.57.46

Catarina Reis – Consultora de Imagem e Voluntária na DFS

1- Numa entrevista de emprego, quais as 2 maiores qualidades que enumeras?

Postura e sinceridade!

2– Se perguntarmos ao teu melhor amigo qual o teu programa preferido de sábado à noite, qual será a resposta dele? 

Sem dúvida, um bom jantar em casa, recheada de amigos e um bom vinho!

3- Como descobriste a Dress For Success em Lisboa (DFS)?

Através da Blossom. Após acabar o curso, senti necessidade de reforçar as minhas competências como consultora de imagem e nada melhor que coloca-las à disposição de uma organização que ajuda e apoia outras mulheres

4- O que te faz continuar a colaborar com a DFS?

Principalmente as pessoas que estão na organização, que transmitem esperança, confiança e muita força para continuar a lutar por um projeto cheio de ideias fantásticas. E também pelas minhas colegas de profissão. Fazemos uma equipa extraordinária, em que estamos todas de alma e coração.

5- E a paixão por consultoria de imagem, veio de onde?

Desde muito cedo foi um tema que me fascinou. E aos 45 anos achei que devia aprofundar o tema. Mas cedo percebi que tinha que aprender muito e a DFS tem sido uma grande aprendizagem.

6- Quais os mais importantes significados escondidos por trás de “180º graus” para ti?

Este nome nasceu quando decidi dar uma volta à minha vida profissional e iniciei o curso de consultoria de imagem. É um espelho dessa volta. E posso dar como significados: mudança, vontade e acreditar em que é possível fazermos o que queremos.

7- O que mais te inspira no Mundo da Moda?

É ajudar cada pessoa a encontrar a sua verdadeira marca, a sua posição na sociedade. Criando alicerces para encarar e fortalecer essa marca pessoal.

8- Que peça de vestuário nunca deveria ter sido inventada?

Blazer de couro!

9- Qual a Mulher que é para ti um exemplo a seguir no dia-a-dia?

Assim de repente, só a minha mãe. Mas essa, para todos nós é um exemplo, mesmo para quem está de fora e acha que não é! 🙂

Num olhar social e com algum interesse a nível de conquistas e lutas pelos direitos humanos e pelo respeito pelas mulheres, Hillary Clinton.

Foi uma mulher com muita força para ultrapassar todas as injúrias que disseram dela. Conseguiu abordar assuntos como a saúde gratuita para as crianças no seu país, discursar sobre maus tratos, direito humanos e das pessoas LGBT na sede da ONU e muito mais. Por ela e por outras, tenho orgulho em ser mulher!

10- Se fosses uma peça de roupa, qual serias e porquê?

Um blazer. Para mim é a peça de vestuário mais versátil. Tanto encaixa num look casual ou descontraído, como num look formal, ou até num evento festivo. É só saber escolher as peças certas.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Artigos recentes

Coloque o seu melhor acessório: o Sorriso

A Imagem é fundamental, sendo indiscutível a sua importância, tanto a nível pessoal como profissional. Cuidar da imagem é sinónimo de autocuidado, confiança, autoconhecimento, valorização, de autopoder e até de profissionalismo. Todos os dias tem

Desmistificando: Body Positivity

O conceito Body Positivity, traduzido para «Positivismo Corporal» define a ideia de que todos os corpos devem ser aceites e amados independentemente dos estereótipos marcados pelas culturas e sociedades. Algo básico, não? Podemos olhar para

Este ano o Carnaval é outro!

Longe de mim falar-vos de Carnaval em tempos difíceis e de grande preocupação para todos. O Carnaval passa para segundo, terceiro, quarto … plano e muito bem. Mas aproveito-me (do Carnaval) para vos falar de

À Conversa com Nuno Costa

Nuno Costa, Personal Trainer de Profissão, fala-nos de como o exercício físico é um dos melhores aliados do bem-estar psicológico, especialmente em tempos de pandemia. Porquê uma carreira virada para o desporto e o que

A coragem para a mudança

A vida é uma constante prova de superação dos nossos anseios e medos mas também uma constante prova de coragem, que nos liberta das amarras que nos bloqueiam para ir mais longe, para ir por