Captura-de-ecrã-2021-03-27-às-12.00.52

Desperdício Zero – uma forma de estar na vida para quem valoriza a simplicidade

O grande objectivo do movimento «Desperdício Zero» é pensar global e agir local pois a mudança começa dentro de cada um de nós ao valorizarmos as coisas simples da vida.

O planeta Terra está constantemente a «enviar mensagens» para a Humanidade mudar o seu comportamento mas a maioria de nós prefere ignorar o que está diante dos nossos olhos.

No entanto, para que a mudança se faça sentir nas massas têm de existir pioneiros «são aqueles que vão à frente abrir o caminho», neste caso para a sustentabilidade.

Corroborando a ideia anterior e para que o combate ao desperdício seja efectivo, este deve ser feito nas suas várias dimensões e vertentes, desde a produção ao consumo, dos oceanos à energia, dos recursos ao conhecimento, associando-se à inovação, às novas abordagens e possibilidades de construção de um futuro e de uma sociedade mais sustentável. A estratégia base de combate ao desperdício é feita através da implementação de modelos de economia circular.

 

Estas economias circulares pedem-nos «simplesmente» que apliquemos 5 regras básicas, em tudo na nossa vida, para começarmos a «conviver» com este conceito tão necessário. Passo então a explicá-las de forma muito resumida:

  1. RECUSAR o que não precisamos, isso significa apenas aprender a dizer não ao que não é essencial;
  2. REDUZIR. É importante ter consciência que tudo aquilo que abrimos mão será algo de valor para outrem. Então, torna-se necessário aprender a desapegar (deixar ir) de algo que não é essencial para uns mas que será da maior utilidade para outros;
  3. REUTILIZAR, ou seja, trocar o que quer que seja descartável por uma alternativa reutilizável;
  4. RECICLAR. Devemos reciclar apenas o essencial (tendo em atenção que já estamos a Recusar e a Reduzir).
  5. COMPOSTAR ou seja deixar apodrecer para se poder voltar a usar. Pois de acordo com a  Leide Lavoisier …«Na natureza, nada se perde, nada se cria, tudo se transforma»…

Como exemplo do Movimento Desperdício Zero vou divulgar um negócio local denominado de «Mercado do Campo» que se situa na Malveira, a cerca de 30Km de Lisboa.

Como surgiu o Mercado do Campo?

Duas amigas da escola que numa fase inicial da vida seguiram estudos e percursos profissionais completamente distintos (industria informática e industria da construção e obras públicas) mas quis o destino voltar a juntá-las aos 42 anos inspiradas não só pela procura de uma vida mais saudável, sustentável mas também pela vontade de ajudar o planeta, começando pela sua comunidade porque acreditam nas pessoas e no efeito «dominó».

Qual é o conceito do Mercado do Campo?

Mercado do Campo é uma mercearia localizada na Malveira que comercializa produtos saudáveis e a granel. O conceito deste espaço assenta em 2 princípios:

  • Ajudar os clientes a optar por um estilo de vida com uma alimentação saudável, aproveitando o melhor que o campo tem para oferecer;
  • Comercializar a granel, sem desperdício e sem plástico, por um planeta melhor!

Trata-se de um espaço onde pode encontrar uma grande diversidade de alimentos, e onde cada um pode fazer um consumo responsável, consciente e levar apenas o que precisa, sem gerar desperdício, ou seja estão presentes os conceitos do recusar e reduzir.

No Mercado do Campo encontra leguminosas, frutos secos, sementes, especiarias, chás, cereais, frutas e legumes desidratados, farinhas, massas e arroz. 90% dos produtos têm origem nacional e, sempre que possível, da região.

Nesta mercearia não se utiliza plástico. Todos os clientes podem levar os seus recipientes de casa ou utilizar os disponíveis na mercearia, de papel ou vidro. O objectivo é haver um ponto de reutilização/reciclagem. Há clientes que trazem frascos de vidro que são lavados e posteriormente disponibilizados gratuitamente a outros clientes. Promove-se assim uma vida melhor e o desenvolvimento pessoal, social e ambiental.

O maior desafio do Mercado é ajudar a população a introduzir uma alimentação mais saudável não como dieta mas sim como estilo de vida, promovendo um maior equilíbrio, saúde e bem-estar.

Para quem tiver curiosidade pode ir ao site www.mercadodocampo.pt e pesquisar sobre o conceito.

Ana Marta Araújo

Homeopata Clássica Unicista

www.ama-homeopatia.com

FB: homeopatia ana marta araujo

Para verificar as fontes das imagens, por favor clicar nas mesmas. 

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Artigos recentes

O apego material

O apego refere-se aos laços emocionais que desenvolvemos com pessoas e animais, mas o apego também pode ser material, desenvolvendo uma vinculação emocional para com um objeto, pensando que nos traz segurança e felicidade, apesar

KAIZEN – Vamos mudar para melhor? (Parte 2)

O que fazer para reativar este nosso poder e capacidade de melhorar a nossa vida, de forma contínua? Conhecermo-nos bem. Não só os pontos fortes, o que fazemos bem, mas o que, sobretudo, queremos melhorar.

KAIZEN – Vamos mudar para melhor? (Parte 1)

Kaizen é uma palavra Japonesa que pode ser traduzida em português como – Melhoria contínua ou «Mudar para melhor»! Acredito que nascemos para Kaizen! Nascemos para mudar! Nascemos para fazermos amanhã melhor do que hoje!

À conversa com Diana Eugénio

Diana Eugénio, autora do livro “A Doença: o Meu Maior Mestre”, fala-nos de como o corpo que que nos deveria proteger acabou, no caso da Diana, por desenvolver uma doença auto-imune que a debilita e

O Dia do Pai

No dia 19 de Março celebra-se o dia do Pai e todos nós aproveitamos a ocasião para lhe darmos um mimo extra. A Maria, com 10 anos, não foi excepção. Inspirou-se, deu largas á sua

Obrigada, Pai!

Talvez pelos seus 19 anos, havia quem não acreditasse que fosse capaz de criar uma família com a responsabilidade necessária, ou esperada. Casou e pouco depois a família aumentou. O sonho de ser pai passou